Os miseráveis por Victor Hugo.

Os miseráveis (Les Misérables) é um livro publicado em 1882 pelo francês Victor-Marie Hugo, também autor do celebre O Corcunda de Notre-Dame.

Resultado de imagem para victor-marie hugo
Victor-Marie Hugo (1885-1941)

O autor se dedicou desde cedo à literatura, enfrentando a própria família para seguir seu desejo. Logo começou a receber prêmios de acordo, tanto na literatura quanto na poesia. Victor Hugo teve uma vida dedicada a escrita e a luta contra injustiças sociais, acaba por fundar um jornal, no qual ajuda nas eleições de Luís Napoleão para logo após golpe do mesmo que apoiou, ficar entre os revoltosos e ser condenado a um exílio por 18 anos. E nesse momento do exílio é escrito a obra apresentada.

Jean Valjean é um homem em busca de um pouco de conforto após 19 anos submetido a trabalhos forçados nas galés, punição recebida por roubar um pão na tentativa de alimentar sua irmã viúva e seus sete filhos, logo durante o inverno.

Ele perambula por uma cidade, no entanto, mesmo com dinheiro, não é recebido em nenhuma taberna, casa e ou até mesmo um estabulo, chega a tentar uma casinha de cachorro, sem sucesso. Na rua, deitado em uma pedra que seria sua cama pelo resto da noite, Jean Valjean escuta de uma mulher que passava que há uma casa na qual há abrigo e conforto para todos aqueles que precisam, essa é a casa de um bispo local, que se dedica inteiramente ao cuidado dos necessitados e daqueles que o procuram. Tal homem era tão bom que foi apelidado de Bem-Vindo, por sempre receber bem que o procura.

O forçado entra na casa que não possui trancas na porta, é bem recebido pelo bispo que vive sem luxo algum, recebe comida e uma cama para dormir,

Resultado de imagem para os miseráveis
Capa de uma das traduções existentes.

pensa como em quase 20 anos não em uma cama. Mesmo com tamanha hospitalidade, durante a noite é perturbado pela vontade de roubar dois castiçais e os talheres de prata que vira sendo guardados tão expostos. É vencido pela tentação, rouba-os e foge. Quando apanhado e levado de volta ao bispo, é inocentado pelo mesmo, pois sabe que o coração do fugitivo é bom, dizendo que as peças de prata foram um presente, garante-lhe a liberdade.

Essa é a apenas a primeira parte, em que se introduz o personagem, esse que sempre irá estar presente, mesmo que não a primeira vista. O livro se segue com inúmeras reviravoltas e a apresentação de personagens que fazem jus ao título, aborda cenas de algumas revoltas da época e a injustiça social praticada com os menos favorecidos e vítimas da fome e condições imposta a eles sem liberdade de altera-las.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s