Série: The Handmaid’s Tale

The Handmaid’s Tale ou O Conto da Aia é uma série classificada como ficção cientifica baseada no livro de mesmo nome, lançado em 1985, por Margaret Atwood.

O Conto da Aia - Saraiva
1985

A série dá a entender a quem assiste que houve uma revolução. As leis foram mudadas e o país vive agora uma “nova era”, com grande parte de suas ações com alguma fundamentação absurda justificada por trechos bíblicos. Mulheres perderam o direito a voto, propriedade e escolha.

Nessa ambientação os seres humanos estão com maior taxa de esterilidade, causando consequente baixa na taxa da natalidade mundial, além da infertilidade nos solos e poluição. Esses fatores também serviram de justificativa para o golpe de estado.

6 Paralelos Assustadores entre The Handmaid's Tale e a Vida Real

A sociedade está dividida em funções. Há os Comandantes, esses foram os pivôs para que a mudança acontecesse, que agora decidem sobe o rumo que tomará a nação, como a vida de todos dentro delas. As Esposas dos Comandantes, de roupas azuis, vivem apenas para que possam ter um filho, embora sejam estéreis, nesse ponto entram as Aias, essas usam vermelho. São as mulheres férteis, antes mães, professoras, empresárias, reduzidas a úteros. Cada comandante tem direito a uma Aia, em que realizam a cerimonia de estupro todos os meses para que essa engravide dele, para entregar sua criança à esposa e o esposo.

Há as Martas, mulheres que trabalham na cozinha e afazeres do lar, essas usam cinza. Os Olhos, podem ser guardas, motoristas, ou seja, qualquer homem que não seja um comandante, esses observam amotinados, traidores ou a menor desordem na cadeia social. As Tias, uniformizadas de marrom, utilizam da falsa sensação de poder para formar Aias obedientes e submissas, com direito a tortura física e psicológica.

The Handmaid's Tale – 1×06 A Woman's Place | Apaixonados por Séries

Nesse ambiente, mulheres são objetos e qualquer um que for contra o sistema está aberto a punições, como a morte por enforcamento ou trabalho forçado em campos tóxicos.

June (Elisabeth Moss) ou como é chamada, Offred, representa o foco de toda a trama, com sua narração e relatos mentais de situações pelas quais passa. Muito de sua vida antes da guerra e como tudo aconteceu de seu ponto de vista.

Primeiras ações de dominação

De maneira rápida e certeira, os revolucionários homologaram leis que congelavam as contas bancárias das mulheres, passando o valor para o parente homem mais próximo e no mesmo instante retiraram todas dos empregos. Algum tempo após isso ela, o marido e a filha tentaram fugir, mas sem sucesso, o que a levou diretamente ao Centro Vermelho.

Os Centros Vermelhos eram os locais em que as Aias eram instruídas e reprimidas pelas Tias para assumirem suas funções de reprodutoras.

Disney negoceia com a ComCast compra de 30% do Hulu
Elisabeth Moss

Uma ressalva importante é quanto ao jogo de cores utilizado nas gravações, em que muitas vezes os olhos das personagens ganham grande destaque em contraste ao todo, como também as roupas padronizadas das Aias e Esposas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s