RESENHA: MORRO DOS VENTOS UIVANTES POR EMILY BRONTË

No topo da lista de meus livros favoritos esse romance permanece, seguido de Simplesmente Acontece. Essa obra do século XVIII, clássico inglês que até hoje transcende o tempo, traz emoção e a tragédia que nela é representada. O livro original trás todo o sofrimento, preconceito e ganancia que havia naquele tempo, não que hoje não haja, porém, de uma maneira talvez extremista demais para nossos termos de hoje em dia. Esse livro nos tele transporta para dentro dele, sentimos as dores e as alegrias dos personagens, Emily Brontë soube exatamente como expressar sua obra.

A historia é narrada pela ama de leite de Catherine Earnshaw a um bom senhor que aluga a Fazenda Cruz dos Tordos vizinha do Morro dos Ventos Uivantes, onde se passa a narrativa. Os Earnshaw viviam bem, dois pais com um casal de filhos naquele morro.

Certo dia o Sr.Earnshaw ao sair de viagem, retornou com um desnutrido menino, encontrado em uma região de pobreza e fome, de inicio sua esposa não concordava, porém, mais tarde o menino recebeu o nome de Heathcliff, nome do falecido filho do casal, que morrera ainda pequeno. Catherine e Heathcliff se tornaram inseparáveis, nas traquinagens e na dor, quando o pai de Catherine veio  a falecer. Mas os filhos do Sr.Earnshaw já vinham sofrendo abusos, tendo uma criação religiosa rígida, sendo punidos fisicamente.

Após a morte do pai, Hindley, o outro filho, se tornou o senhor do Morro dos Ventos Uivantes, assim, com tal autoridade a usou para torturar Heathcliff, se vingando de ter o posto de favorito do pai tomado por um mero cigano. Certo dia Cathy e Heathcliff ao espiarem a Fazenda Cruz dos Tordos, foram pegos, Cathy teve o tornozelo abocanhado por um pequeno cachorro, por estar ferida os moradores da casa a acolheram e mandaram Heathcliff embora.

Algumas semanas depois, ela retornou ao Morro, irreconhecível, vestia-se como uma dama e falava como uma, tendo agora outros valores. Pouco tempo depois ao falar com sua ama sem saber da presença de seu irmão adotivo, diz que não pode se casar com ele pois não possui posses nem educação, fazendo o menino sair pela porta e não retornar, logo que ele sai, ela confessa todo o seu amor por ele, como o ama com todo o seu ser.WP_20180219_15_30_06_Pro 1

Essa resenha deixei baaastantes detalhes de lado, é muito conteúdo e não teria graça se contasse tudo, porém, finalizei-a deixando a segunda parte de lado, para manter o mistério do que se passa depois da fuga de Heathcliff, não sei se me saí bem. Creio que qualquer leitor que queira, por exemplo, refinar seu gosto, deveria ir para obras clássicas, lá é onde se descobre do que gosta.

Esse eu exemplar ao lado possui a escrita simplificada(não recomendo) e suaviza cenas de violência física ou psicológica, mesmo que isso seja bom para alguns, não me agradou, pois já li o exemplar original e as alterações feitas não eram necessárias, se pudesse não compraria essa versão, porém a historia ainda é boa hehe.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s