Observação

A blusa está em algum lugar, tenho certeza, foi o pensamento que pairou por sua cabeça. A pequena kitnet estava bagunçada, e com certeza sempre frequentada. O horizonte começava a clarear. Lembrou-se de como Apolo guia seu carro do sol de uma ponta à outra. A blusa, aonde poderia estar. Uma visão de horas atrás lhe tomou a mente. Ele a jogou atrás da porta. Vestiu-se.
A porta estava destrancada, olhou para ele, roncava ao inspirar, semelhante aos suspiro de um cachorro, comparou com carinho. Uma porta destrancada é muito descuido. Trancou por fora e passou a chave pode debaixo da porta. Espero que ele não chute a chave de volta para fora, sorriu.
Desceu as escadas, apreciando o leve aroma de lodo que habitava ali. Quando pequena seu quarto possuía aquele cheiro. Lodo lembra infância. Bons tempos.
Abriu a porta de incêndio e saiu, logo em seguida viu uma mulher. Alta, com ombros largos, queixo forte. A mulher segurava na mão esquerda uma peruca castanha, a mão direita acariciava o rosto cuidadosamente. Estava ferida, o olho esquerdo quase não podia ser visto, um filete de sangue seco descia pela boca.
A nossa mulher olhou a mulher que passava, entrou em sua frente, interrompendo a passagem e a abraçou. Os ombros ficaram rígidos, prontos para mais violência. Ela sentiu mãos ao redor da cintura. Deixou a peruca cair e chorou.
A mulher de roupas espalhafatosas foi ouvida, sua voz rouca e grave.
A vida é tão cruel, pensou a moça, ao caminhar por calçadas pouco movimentadas. Pôde ver Apolo chegando. As ruas começavam a ganhar vida. Ainda tão cedo, ouviu uma buzina e um assobio, olhou na direção do som, um homem a chamava para perto do carro.
Às vezes me irritam, divagou enquanto seguia seu caminho. Talvez pudesse chamar um carro. Mas perderia a beleza que está sendo o início desse dia. Hoje pode ser melhor que ontem. Ontem foi um dia bom.
O céu alaranjava-se. Um dia conseguirei pintar essas cores, irão confundir minhas obras com fotografias.
Uma hora depois estava no portão de casa. Será que o Mailou está com fome. Passou por todas as trancas, fechando uma a uma após passar.
Tomar banho refresca. Esse frescor vai além do corpo. Minha mente é lavada também . 
Se deitou desnuda na cama. Que sono gostoso. Já são sete horas. Manhãs de sábado voam.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s