Resenha: O cavaleiro dos Sete Reinos por George R.R Martin.

A escrita é composta por três contos, o primeiro, O Cavaleiro andante introduz à realidade a qual será trabalhada durante toda a obra. Apresenta Dunk, um jovem cavaleiro andante, que foi assim ungido por seu antigo mestre, sem testemunhas, encontra dificuldade em provar seu pequeno título afim de partirar das justas e conseguir dinheiro. No caminho conhece Egg, um garoto careca muito insolente, que o segue até o campo das justas e pede para ser seu escudeiro, o cavaleiro acaba por aceitar, ele mesmo precisava de ajuda às vezes, logo o menino se mostrou muito capaz. Com o desenrolar da história inúmeros fatos fazem com que o jogo não seja favorável a Dunk, que em algumas ocasiões se vê em situações difíceis. Ao mesmo tempo em que algumas revelações fazem a completa mudança de como se vê a história.

Egg segue como escudeiro de Sor Ducan, o Alto, nomeclatura que o próprio Dunk escolheu, no terceiro conto, entitulado A Espada Juramentada. Esse conto se passa pouco tempo depois de O Cavaleiro andante, em que agora Dunk jurou sua espada à um pobre Senhor, fazendo a ele pequenos serviços e recebendo em troca alimento e um teto. Em intensa seca, o conflito é sobre uma grande Senhora que prende o rio que chegava às terras do Senhor a quem Dunk servia, desviando sua rota para suas próprias extensões de terra. A aventura se passa em um lugar simples e sem complexidades, e isso a faz interessante.

O terceiro conto se chama O Cavaleiro misterioso, em que Dunk e Egg, a caminho do Norte, encontram uma caravana que ia em direção a um casamento, em que haveria justas, e o prêmio ao vencedor seria um ovo de dragão. Dunk decide participar das competições, mesmo Egg não estando confortável com isso, e estava certo em se preocupar, pois havia algo errado naquela comemoração, como se algo ruim estivesse se aproximando, se movimentando e escolhendo suas peças, e novamente Sor Ducan, o Alto, está lá para participar de mais atos que colocariam sua vida e a de seu escudeiro em risco.


O cavaleiro dos sete reinos é situado noventa anos antes de Guerra dos Tronos, sendo possível reconhecer algumas casas e nomes de personagens que são citados durante as sequências de livros, e também há a contextualização com o que está por vir, nas Crônicas de Gelo e Fogo, assim como seus sucessores

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s